• Subcribe to Our RSS Feed

[ Cyanogen Inc. recusa tentativa de aquisição da Google e busca se valorizar até US$ 1 bilhão ]


A Cyanogen é conhecida pelas suas versões modificadas e atualizadas do Android, sistema operacional do Google, oferecidas e agraciadas pelo público.Segundo o The Information, a Google, prevendo que esse sistema operacional modificado da Cyanogen fosse de fato uma ameaça ao seu Android original, tentou comprar a empresa. As negociações foram feitas através do chefe das divisões do Android e do Chrome da Google, Sundar Pichai. A compra resultaria em um maior controle da empresa sobre o ecossistema Android nos aparelhos atuais, porém pelo visto a Cyanogen Inc. não aceitou a proposta oferecida.

E além de recusar a oferta, a desenvolvedora inclusive discutiu com investidores fundos para que a avaliação de mercado da empresa chegue perto de 1 bilhão de dólares.
Como muitos que conhecem a Cyanogen já devem saber, seu sistema operacional foi desenvolvido através do código fonte do Android, porém com mudanças de código customizados para que os usuários tenham mais liberdade para personalizar essa plataforma da forma como preferir. Como exemplo, esses usuários podem colocar temas customizados em seus aparelhos e até aumentar a segurança dos mesmos, graças a configurações adicionais. Muitos inclusive acreditam que esse sistema seja bem mais interessante do que o Android original, e é exatamente por isso que a desenvolvedora apresenta um perigo eminente para a Google.
E não é só isso. A Cyanogen atualmente está em negociações e a ponto de fechar uma acordo com a Micromax, uma fabricante de dispositivos móveis da India que, no país, é uma rival de peso para a própria Samsung. Com isso a Micromax estaria fabricando novos aparelhos que viriam exclusivamente com o sistema operacional da Cyanogen
Claro que a empresa deve tomar cuidado ao modificar o Android demais, já que deve continuar a seguir os requerimentos de compatibilidade da Google para garantir que os aplicativos de terceiros funcionem em seu sistema. Caso isso não aconteça, os aparelhos não poderão ter acesso a serviços da Google como a Play Store e o Gmail.
fonte: mobileexpert